A Montanha Mágica

Revólveres ainda trazem a face da morte.

Entre si, Dialogam com a linha tênue em que vivemos.

Flores ainda carregando os aromas do verão, meu corpo estendido em qualquer lugar do quarto.

Só me lembro do dia em que as águias vieram me prestar homenagem.

Rodeavam o sol, em suas sombras aladas.

Rasgavam o chão com suas asas, esguias.

O revólver nem deveria estar carregado.

As águias cada vez mais perto,

O meu quarto, nunca existiu.

Sempre achei interessante,

Sempre achei sombrio,

O quanto águias,

São como a face imponente do vento.

São rainhas.

São rainhas da morte.

Tinha até me esquecido.

Águias parecem com abutres,

não é?

Anúncios

~ por Morte. em janeiro 1, 2012.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: