Lua.

Oh céu.

olho pra ti como o mar.

Vem, te leva despercebido,
não fala nada.

Talvez essas cortinas avermelhadas nunca foram de meu gosto.

Talvez esse vinho desgostoso, nunca fora vermelho.

mas ainda bebo-o, olhando para essas cortinas.

Vermelho.

a cor do nosso sangue.

Meu, seu, do mundo!

Minha soleira nunca falou comigo.

Ou, espero que nunca fale.

Soleiras não falam, não é verdade?

Ei ei, olhe a lua!
Como anda, linda!

Só esqueci de mencionar,

Foi hoje que mataram-na.

Jogaram ali,
Um pouco de vinho, de sangue,
Uma cortina velha.

Agora mesmo, só está mais linda!

Assim como esse vinho desgostoso e essa cortina horrenda.

Sempre gostei mais do mar.

Anúncios

~ por Morte. em dezembro 10, 2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: