Crônica número um: Um consumista perdido

Ele assistia inércio a televisão, suas pálpebras mal mexiam para piscar, ele assistia atônito, sua concentração era cem por cento voltada para o quadrado em frente a ele.

A estante curta, quadrada, marrom e quase inutilizável, com duas gavetas cheias de revistas consumistas e a televisão de 48 polegadas preta metálica da finura de um dedo mindinho pendurada a parte de cima da estante.

O chão de madeira rústica e a poltrona em um tom avermelhado com encosto ajustável e suporte para os pés, cabia bem confortável para sua bunda digna de um corpo de 238 quilos.

Sua camisa branca com uma estampa exagerada da Rik Will, sua bermuda branca Gangster, seu tênis colorido Nike e seus óculos Oakley preto inutilizáveis naquele dia frio de pouco ou nenhum sol faziam valer a pena seu nome sujo em dividas inacabáveis de cartões.

Foi quando ele viu, o comercial de um I-Phone cinco, o último da geração e ele ainda estava no três, seus olhos brilharam, digno de um consumista porco e nojento, a ausência de janela mal importava nesse momento, e foi então que ele teve um ataque cardíaco, ele morrera sentado, quase deitado em sua poltrona de couro verdadeiro, assistindo sua bela TV, usando seu belo conjunto de roupa e com o desejo consumista de sua vida.

Aquele I Phone Cinco uma semana depois estaria ultrapassado.

Anúncios

~ por Cirurgião em junho 20, 2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: