A inspiração

É quando respiro
É quando ando
É quando percebo

É quando amo
É quando peco
É quando desejo
É quando percebo

É quando sorrio
É quando contemplo uma linda imagem
É ainda quando percebo

É ainda quando percebo que lhe amo,
mais ainda do que o próprio amar
Mais que o próprio andar
Mais que o desejar

E eu percebo que só amo
E amo e amo e amo
É quando percebo que sem você
Sem você não mais
Sentido algum terá
Essa droga medíocre que chamo de vida
Mas que deixa de ser medíocre
Por ter você nela

Interminável poema
Interminável e meloso
Sem palavras bonitas
E sem vocabulário rebuscado
Mas ainda sim me arrisco
Arrisco-me, não em palavras bonitas
Mas sim
Em palavras verdadeiras

 

Um poema de Guilherme Antonio, todos os direitos reservados a Kerollyn Tuller

Anúncios

~ por Cirurgião em março 28, 2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: