Por conta própria me aguardo

O céu que me resguarda
Que espera eu finar-se
Por conta própria
Que por mim estiolar-se
Só sei que me espera
Talvez de capuz preto
Talvez seja mesmo cifer
Deveras eu sei
Cansado eu sei
Que eu parei
E que por mim mesmo
Morrerei
A felicidade pouco me importa
A única que tive foi cifer
O sol que não mais reluz em minha janela
O amor que a tona não mais sai
Acabou de morrer mais uma vez
E a morte ainda me espera
De capuz preto ou chifres vermelhos
Que eu vá por conta própria

Anúncios

~ por Cirurgião em março 19, 2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: