O rio que nunca limpa

“Nunca perca a fé na humanidade, pois ela é como um oceano. Só porque existem algumas gotas de água suja nele, não quer dizer que ele esteja sujo por completo.(Mahatma Gandhi)”

Acontece que hoje
O rio é poluido
E só há algumas gotas limpas

Algumas gotas limpas
Bebiveis
Potaveis

Algumas gotas sujas, poluidas

Algumas gotas intermediarias
Pouco limpas
Puco sujas
Nadáveis

A parte nadável é a maior,
é fácil sujá-la
É fácil lavá-la

Massa maldita
Que não luta
Que não acredita
Massa maldita

Anúncios

~ por Cirurgião em janeiro 29, 2011.

2 Respostas to “O rio que nunca limpa”

  1. Q frase D+( adoreii)
    tento com muito vigor ser uma gota limpa,minhas lágrimas me purificam qundo a lama tenta me sujar.
    [by C.da Morte]

  2. Acredito que eu seja a parte nadável, mas tento sempre me tornar uma gota limpa! Muito bonito esse poema, assim como a frase de Ghandí também…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: