Por que poeta, por que amigo?

Por que escreves amigo?
Escrevo em refugio
Demonstrando o que não consigo
Em palavras faladas ou em atos de sentimentos

Por que escreves poeta?
O poeta é maldito
Odeia tudo
Mas ama tudo

Por que odeia tudo poeta?
O ódio é meu refugio do amor
o protesto se concretiza
E o texto escrito está

Por que ama poeta?
Amo em refugio do ódio
Porque se não amasse nem minha causa
O texto não se concretizaria

O poeta escreve
O poeta foge
O poeta é nada
Nada sem o amor

Anúncios

~ por Cirurgião em janeiro 4, 2011.

4 Respostas to “Por que poeta, por que amigo?”

  1. o poeta nada.

  2. Como diria uma poeteira aí…

    “Sinto o que nem posso dizer, nem com palavras erradas.
    Palavras, de sentimentos carregadas… subjetivas demais!
    Ah, palavras! Há palavras que simplesmente não servem.
    Há palavras que dizem mais do que se quer sentir.
    Há sentir que é mais do que as palavras querem dizer.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: